Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog de buenp.pedro
 


Tento escrever, mas não sei...

TENTO ESCREVER, MAS NÃO SEI...

 

Isso às vezes me atormenta, pois os acontecimentos estão aí mesmo bem próximos de mim e não consigo nem iniciar uma frase sequer. Qual será o motivo? Seria a força da mídia negativa que volta atacar de forma até desumana diante de quem um dia ela não acreditou que faria algo melhor?

 

“Teria essa mídia “quebrado” a cara” e agora não vê outra forma a não ser agir como sempre fez, principalmente antes de 1964 quando incentivou como sempre fez os militares serem “os guardiões” da democracia e agora de uns tempos para cá os abandonou e nem uma linha sobre 31 de março ou 1º de abril? Já disse em outras ocasiões de que muitos dos militares foram sempre usados pelos civis e depois deixados de lado, como se fossem incômodos. Aliás, essa mesma mídia até pouco tempo diariamente tentou “plantar” novamente uma suposta rivalidade em face aos documentos secretos sobre os ocorridos nos quartéis. Não logrando êxito calou-se como sempre faz.  “No jargão quer dizer: “Bala de prata”. O mesmo que “requentar fatos”

 

Achei esse vídeo que me levou a um passado quando eu também fui induzido pelos “formadores de opinião” e não via graça alguma na reação da estudantada, mesmo presenciando algumas vezes a pancadaria que ocorria no centro do Rio de Janeiro.

 

Hoje muito mais que amadurecido vejo o nosso país de forma diferente, mais vivo, mais progressista, mais moderno e com mais força diante do cenário internacional. Nossa economia nunca esteve tão boa e tão pujante. Houve benefícios para todos, mesmo que saibamos que ainda falta muito a fazer, mas haveremos de conseguir. Tudo depende de continuáramos apoiando o que se se iniciou a partir de 2003. A continuidade será a base de mais crescimento. Portanto, pense bem!

 

As forças do atraso estão lutando para voltarem ao poder. E como estão! Essas forças do atraso nunca tiveram nesses últimos 10 anos tanto apoio dos mesmos órgãos de comunicação que levaram o país as ocorrências de 1964 como agora. Eu como muitos outros que naqueles tempos até apoiávamos hoje sentimos o gosto que as coisas melhoraram. Pode ser que esteja enganado e torço para que não: Lula iniciou e agora seus discípulos darão continuidade, com certeza.

 

A capa desse vídeo vê-se de como as mulheres daqueles tempos já clamavam pela sua liberdade e agora mais que nunca também lutarão para eleger a primeira mulher Presidente do Brasil.

 

Pedro Bueno.

2/4/2010.

http://buenomuybueno.blogspot.com



Escrito por buenp.pedro às 17h52
[] [envie esta mensagem
] []





ASSUNTO BEM CURTINHO.

 

Lembro-me no finalzinho dos anos 40, quando estando na cidade de Cruzeiro, SP, eu menino, ainda, quando via a chegada do trem, esse movido com máquina a óleo disel, falo isso para distinguir que para Varginha MG, cidade onde se desembarca para depois ir para Eloi Mendes, já que para minha terra ainda era “Maria Fumaça”.  Então, não fugindo do curtinho assunto, era de que o tal trem quando parava na estação de Cruzeiro o pessoal o chamava de “o trem baiano”, tudo para se referir de que se tratava de gente que vinha do interior baiano caminhando para tentar a vida em São Paulo.

 

Mais tarde, o que mais eu ouvia falar era dos “paus de araras”, os caminhões que vinham de várias localidades do norte/nordeste. Gente que fugia da pobreza, da miséria mesmo.

 

Hoje em pouquíssima escala, se comparado a um passado não tão distante, não se escuta ninguém mais falar desses tipos de transportes aqui pelo sudeste.

 

Sim, não restam duvidas que as ações do governo para aqueles estados do norte e nordeste estão pondo fim a essa migração que foi benéfica por um lado (para São Paulo, por exemplo), mas carreou mais ainda muita pobreza para os bolsões da miséria que rondam as grandes metrópoles.

 

Hoje se pode dizer, acho eu, sem nenhum dado estatístico, de que esses bolsões tiveram origem nesta imensa migração, mas agora são mesmo formados pelos nativos dessas grandes cidades.

 

Como o assunto era mais sobre “o trem baiano”, não posso esquecer de que aqui mesmo pelo sudeste a migração para os grandes centros eram de gente vindas das roças mineira e de outros estados mais próximos de cidades como São Paulo, Belo Horizonte e outras mais, com formação de bolsões enormes. Também de pequenos proprietários de terras que devido o tamanho da família não tinham com dar sustento aos seus.

 

O que me fez lembrar primeiramente do trem baiano? É que lendo e ouvindo noticias sobre custos da construção civil, um dos componentes da planilha o que mais tem afetado essa alta é a mão de obra. Não se encontra com facilidade gente do ramo de pedreiro, ladrilheiros, encanadores e por aí vai e assim sendo, essa mão de obra hoje está sendo “comprada” a peso de ouro. Então, com sinceridade, o que o atual governo, principalmente tem feito de beneficio para aquela gente do norte e nordeste tem prendido mais em seus próprios lugares, que tem tido algum, ou melhor, bom desenvolvimento. Aos do sudeste, as pequenas propriedades tem tido quase que tudo de benefícios por parte de ações governamentais e com isso sua gente tem ficado nas suas terras.

 

Portanto, que as grandes cidades que tratem de dar incentivos e muita orientação para os seus afim de que esse mercado não fique sem mão de obra. Com uma observação: Dilma ganhando haverá a continuidade da política de ajuda aos menos favorecidos lá dos estados mais pobres. A economia por lá continuando a crescer, quem sabe em Cobrobobó também terá que fazer o mesmo que hoje ocorre em grandes centros: Se virar para ter gente preparada e ganhando bem.

21/3/2010

Pedro Bueno.  



Escrito por buenp.pedro às 16h21
[] [envie esta mensagem
] []







Levando em consideração... 2009 até que...

O ano que começou depressivo, com desemprego e paralisação do setor produtivo, foi marcado pela forte intervenção estatal na economia. O governo iniciou sua série de ajustes já ao fim de 2008, com a desoneração de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis, protegendo uma das maiores cadeias produtivas do país. As primeiras avaliações da desoneração foram positivas – os números setoriais de produção e emprego já mostraram reação em abril –, o que credenciou o governo a assumir as rédeas da sua vocação estatizante e promover novas séries de desoneração em outras cadeias.

Ao custo de R$ 25 bilhões em incentivos, segundo o ministério da Fazenda, o governo assumiu o mérito por fazer o país sair antecipadamente do quadro de recessão mundial já no segundo trimestre. No entanto, este montante não foi suficiente para fazer brilhar o PIB do terceiro trimestre, que jogou água fria em todas as expectativas do mercado de crescimento positivo em 2009.

Ao mesmo tempo e não menos importante, com inflação controlada e ameaçada pela recessão, o ano também foi marcado pela diminuição nos juros, aceito pelo Banco Central. A série de cinco quedas consecutivas na taxa colocou a Selic pela primeira vez em um dígito.

 

Daí entra em conflito com relação ao assunto, quando vejo na imprensa de que o Banco Central irá aumentar a taxa selic em função de que vê inflação com ameaça de aumento. Observe-se de que o consumo cresceu e a inflação ao menos estagnou neste final de 2009.

 

Outro fato, me parecendo que tenha sido por estímulo meramente político, é que estados e municípios, esse último principalmente, reclamaram da queda das transferências menores em função da isenção do IPI. Mas nem estados nem municípios comentaram que se o governo não tivesse tomado essa posição, não haveria maior recolhimento de ICMS

 

Infelizmente mesmo com um grande crescimento em torno de 4% do PIB no 4º trimestre, não evitou que no geral o mesmo ficasse com apenas 0.2%.

 

De qualquer forma cabe uma pergunta: fosse Serra, aparentemente tão cauteloso até para assumir sua candidatura, teria tomado a atitude que Lula assumiu?

 

Teria Serra se prontificado a ser “garoto propaganda” afim de que a população comprasse sem medo?

 

Domingo, 14 de março de 2010

 

http://buenomuybueno.blogspot.com



Escrito por buenp.pedro às 10h42
[] [envie esta mensagem
] []





QUANDO FHC FALA

Domingo na política.

 

FHC fala de tudo que se deve fazer no país no próximo governo. “Dá uma aula” de tudo que não fez nos seus oito anos de seu governo, como se nunca tivesse sido Presidente alguma vez.

 

Um fator até estranho e que não se pode deixar de lado é o que ele diz da “não necessidade de privatizações”.

 

Falou da necessidade de redução de impostos e para agradar o empresariado, os que agravam a folha de pagamento, como se não fosse no governo dele que alguns aumentaram consideravelmente, como o do INSS

 

Fala da necessidade da redução das taxas de juros. (quando deixou o governo a taxa selic era de 26%).

 

Repete, como, aliás, toda a mídia, lembrando do mensalão do PT de 2005. Do seu parceiro do DEM nada, Até parece que corrupção no Brasil foi inventada no governo Lula.

 

Quem leu nada deve ter visto de novo, Tudo repetição e traduz da forma que quer agora mais que nunca em véspera de eleições. O estranho é FHC estar falando desses e outros assuntos mais não mencionados aqui, mas sim o candidato Serra, que pretende governar os próximos quatro anos. Isso se não desistir de se candidatar à Presidência, optando por tentar a reeleição ao governo de São Paulo, o que lhe parece mais viável.

 

Mas será mesmo que Serra não fugirá como se pensa até mesmo gente de seu partido?

 

Eis aí um resumo bem curto do que escreveu FHC na sua coluna do jornalão do Rio.  Foram tudo assuntos usados por candidatos. Faltou Serra para dizer isso tudo e mais ainda. Mas cadê ele?

 

Pedro Bueno.

7/3/10.

 

http://buenomuybueno.blogspot.com

 

http://buenomuybueno.blogspot.com



Escrito por buenp.pedro às 06h03
[] [envie esta mensagem
] []





Procurei achei!

NA INTERNET SE ACHA DE TUDO, INCLUSIVE...

 

Fonte: www.consciencia.net/corrupcao/docu/fhc

 

39 - Subserviências internacionais

A timidez marcou a política de comércio exterior do governo FHC. Num gesto unilateral, os Estados Unidos sobretaxaram o aço brasileiro. O governo do PSDB foi acanhado nos protestos e hesitou em recorrer à OMC. Por iniciativa do PT, a Câmara aprovou moção de repúdio às barreiras protecionistas. A subserviência é tanta que em visita aos EUA, no início deste ano, o ministro Celso Lafer foi obrigado a tirar os sapatos três vezes e se submeter a revistas feitas por seguranças de aeroportos.

40 – Renda em queda e desemprego em alta

Para o emprego e a renda do trabalhador, a Era FHC pode ser considerada perdida. O governo tucano fez o desemprego bater recordes no País. Na região metropolitana de São Paulo, o índice de desemprego chegou a 20,4% em abril, o que significa que 1,9 milhão de pessoas estão sem trabalhar. O governo FHC promoveu a precarização das condições de trabalho. O rendimento médio dos trabalhadores encolheu nos últimos três anos.

37 – Explosão da violência

O Brasil é um país cada vez mais violento. E as vítimas, na maioria dos casos, são os jovens. Na última década, o número de assassinatos de jovens de 15 a 24 anos subiu 48%. A Unesco coloca o País em terceiro lugar no ranking dos mais violentos, entre 60 nações pesquisadas. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes, na população geral, cresceu 29%. Cerca de 45 mil pessoas são assassinadas anualmente. FHC pouco ou nada fez para dar mais segurança aos brasileiros.

38 – A falácia da Reforma agrária

O governo FHC apresentou ao Brasil e ao mundo números mentirosos sobre a reforma agrária. Na propaganda oficial, espalhou ter assentado 600 mil famílias durante oito anos de reinado. Os números estavam inflados. O governo considerou assentadas famílias que haviam apenas sido inscritas no programa. Alguns assentamentos só existiam no papel. Em vez de reparar a fraude, baixou decreto para oficializar o engodo.



Escrito por buenp.pedro às 08h26
[] [envie esta mensagem
] []





Procurei achei!

NA INTERNET SE ACHA DE TUDO, INCLUSIVE...

 

Fonte: www.consciencia.net/corrupcao/docu/fhc

 

39 - Subserviências internacionais

A timidez marcou a política de comércio exterior do governo FHC. Num gesto unilateral, os Estados Unidos sobretaxaram o aço brasileiro. O governo do PSDB foi acanhado nos protestos e hesitou em recorrer à OMC. Por iniciativa do PT, a Câmara aprovou moção de repúdio às barreiras protecionistas. A subserviência é tanta que em visita aos EUA, no início deste ano, o ministro Celso Lafer foi obrigado a tirar os sapatos três vezes e se submeter a revistas feitas por seguranças de aeroportos.

40 – Renda em queda e desemprego em alta

Para o emprego e a renda do trabalhador, a Era FHC pode ser considerada perdida. O governo tucano fez o desemprego bater recordes no País. Na região metropolitana de São Paulo, o índice de desemprego chegou a 20,4% em abril, o que significa que 1,9 milhão de pessoas estão sem trabalhar. O governo FHC promoveu a precarização das condições de trabalho. O rendimento médio dos trabalhadores encolheu nos últimos três anos.

37 – Explosão da violência

O Brasil é um país cada vez mais violento. E as vítimas, na maioria dos casos, são os jovens. Na última década, o número de assassinatos de jovens de 15 a 24 anos subiu 48%. A Unesco coloca o País em terceiro lugar no ranking dos mais violentos, entre 60 nações pesquisadas. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes, na população geral, cresceu 29%. Cerca de 45 mil pessoas são assassinadas anualmente. FHC pouco ou nada fez para dar mais segurança aos brasileiros.

38 – A falácia da Reforma agrária

O governo FHC apresentou ao Brasil e ao mundo números mentirosos sobre a reforma agrária. Na propaganda oficial, espalhou ter assentado 600 mil famílias durante oito anos de reinado. Os números estavam inflados. O governo considerou assentadas famílias que haviam apenas sido inscritas no programa. Alguns assentamentos só existiam no papel. Em vez de reparar a fraude, baixou decreto para oficializar o engodo.



Escrito por buenp.pedro às 08h18
[] [envie esta mensagem
] []





Dúvida cruel!

Dúvida cruel ou cruel dúvida. Quem pode esclarecer?O texto abaixo está, na VEJA.

 

3/3, Veja, pág. 71. Falando da troca de correspondência entre JK e Tancredo Neves depois da cassação dos direitos políticos do primeiro pelo regime militar, o texto começa dizendo: “Tancredo Neves, o homem que devolveu a democracia ao Brasil…”. Discordamos: existem vários candidatos a esse posto. Afinal de contas, Tancredo foi o candidato a presidente nas eleições indiretas, mas Ulisses Guimarães não foi o grande batalhador, ou um dos grandes batalhadores, pela democracia? E que tal o General Figueiredo, que afinal de contas foi quem decidiu alguns anos antes, fazer a abertura lenta e gradual culminando com a transição para o poder civil? Na verdade, não sabemos como isso se passou – será que Figueiredo tomou essa decisão sozinha, ou junto com Geisel, ou junto com outros militares? Mas dizer que Tancredo “devolveu a democracia ao Brasil” nos parece inexato.



Escrito por buenp.pedro às 09h47
[] [envie esta mensagem
] []





Quem será o dono da verdade?

 

De Há muito se fala que com Ciro Gomes candidato poderia tirar votos de Dilma, mas as pesquisas vêm demonstrando o contrário: evita a possibilidade de Serra ganhar já no primeiro turno. Apesar de que ganhar no primeiro turno acho que nem um nem outro tenha essa possibilidade.

Seria fazer pouco caso da inteligência do Presidente Lula quanto às ações políticas, visto que nisso ele é professor para dar aula a mais ilustre nobreza do PSDB e DEM.

Lula teria visto que Ciro iria prejudicar Dilma desde as obras do Rio São Francisco onde conviveram numa paz que dá dó a mais ingênua oposição. Teria Lula alimentado um sonho para Ciro, homem maduro na política?

Pois sim, Lula não mexerá uma vírgula sequer para que Ciro abandone sua campanha. Levará esse apoio aos dois até mais próximo, mas lógico dando mais abertura a Ministra Dilma. E Ciro sabe muito bem disso.

Ciro teria uma avalanche de apoio de Lula se por acaso Dilma não deslanchasse, o que não é o caso a partir dessas duas últimas pesquisas (Sensus e Vox Populi).

Tanto Lula tem razão de não se manifestar pela saída de Ciro da disputa que nem se manifesta. Quem mais fala sobre isso é a imprensa oposicionista e gente tanto do PSDB como do DEM. Aliás, o DEM tem até ficado meio que quieto. Já não tem exigido uma posição de Serra. Mas também com o mensalão do DEM em Brasília o que pode exigir?

Oposição se acalme. Ciro irá até o final, somente se retirando caso Dilma desponte uma boa margem de Serra.

Pedro Bueno.

2/2/2010.



Escrito por buenp.pedro às 19h34
[] [envie esta mensagem
] []





 

Inflação na visão do Banco Central.

 

 

Há muito o Banco Central tem agido e muito aprovado pelos analistas da nossa imprensa, que não consigo entender bem já que Meirelles está naquela instituição parecendo até que seja uma imposição da área financeira do país.

 

Muitos hão de dizer que a desvinculação do BC do Ministério da Fazenda era necessária, mas nem tanto, diziam antes. Talvez que o BC já descriminava tanto o ambiente que lhes foram sempre favoráveis no passado. Talvez nem tanto na imprensa tamanha fosse à necessidade de preservar. Por outro lado, os meios de comunicação ainda não haviam formado um time de analistas que pudessem colocar a público suas idéias. E, de qualquer forma, o neoliberalismo agia sem nenhum constrangimento. Hoje, mesmo que diminuto, há controvérsias da sua ação.

 

Falando em inflação, muito na moda quando se fala de BC, dia desses ouvi um palestrante de um grande banco e lá tive a oportunidade de lhe fazer uma simplória indagação sobre que discordo de usar a selic como indutor de redução de inflação.

O que lhe perguntei fui logo dado andamento de caminhos que acho que a selic vai logo provocando, no meu conceito negativamente. Se não vejamos:

- Selic alta freia o consumo – reduzindo consumo freia a produção – freando a produção falta produto – faltando produto há aumento e preço – aumentado preço gera inflação e assim vai e torna-se uma roda viva, que seria bom dizer que menos produção maior nível de desemprego – maior desemprego menos gente para consumir e daí chega-se até o final dessa roda que seja um PIB baixo.

- Ouvi uma resposta rápida do palestrante de que para aumentar o consumo o governo abriu uma linha de crédito e com prazos bastante elásticos. Não há duvida que isso possa aumentar, mas quem teve mesmo que bancar foi todos nós que não compramos nada, mas que também teremos adiados novos investimentos públicos em função de redução da carga e logicamente arrecadação menor isso para atender o mercado diferenciado em detrimento de outros.

 

Vamos falar o inverso do que comentei inicialmente? Seria do agrado dos banqueiros?Então vejamos:

 

- Selic baixa aumento de consumo – aumento de consumo aumento de produção – com necessidade de aumento de produção, maiores investimentos novos – daí mais emprego – mais gente no mercado de trabalho mais consumo – novos investimentos evitam-se falta de produto e equilibra preços – havendo crescimento de demanda é visto de forma se trocar de produto, o que tem ocorrido, já que o mercado hoje é bem concorrido. Finalmente, se é que se pode dizer que tenhamos chegado ao fim desse assunto, que tem muito mais a discutir e analisar. Na verdade o que evita inflação e o setor produtivo ter custos baixos e custos baixos começa com taxa de juros adequados e na lente de quem imagina que nada disso possa ocorrer e daí se arriscar não faz o gênero de burocratas do BC.

 

Outro momento talvez tenha condições de escrever sobre spread bancário que há uma distância muito grande do que se paga ao correntista e o que se cobra do tomador. Esse também é um grande gerador de inflação.

 

Pedro Bueno

28/1/2010.

-



Escrito por buenp.pedro às 19h48
[] [envie esta mensagem
] []





MEIO QUE DESANIMADO

Estava desejando escrever, mas...

 

Mas quando me sentei diante do computador me deu um desânimo muito grande, visto que li no jornalão do Rio uma reportagem na página 3, com o título com letras garrafais:

 

“Lula cede à pressão e muda plano.

 

Depois: O que diz o primeiro decreto (dezembro):

“Prevê a elaboração de projeto de lei até maio deste ano para criar a Comissão Nacional da Verdade. A Comissão vai “promover a apuração e esclarecimento público das violações de Direitos Humanos praticados no contexto da repressão política ocorrida no Brasil”.

 

O que diz o novo decreto (de ontem). (Dia 13):

 

O projeto de lei previsto no decreto anterior instituirá a Comissão Nacional da Verdade para “examinar as violações de direitos humanos” praticados durante o regime militar.

 

Acho que necessito me reciclar, pois nada entendi. O que mudou? Por acaso está isentando alguém de ser ou não investigado sobre a repressão havida com o novo texto? 

 

Acho que no fundo certa mídia quer mais uma vez reviver momentos que antecederam 1964, jogando uns contra outros e de mansinho depois fazer a mesma coisa, quando a comunidade internacional começou a condenar o regime de exceção e daí os militares passaram a ser os únicos culpados. Já disse isso aqui por algumas vezes.

 

14/1/2010

Pedro Bueno.



Escrito por buenp.pedro às 23h40
[] [envie esta mensagem
] []





NOSSOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

Já não é de hoje que temos, eu e minha esposa, fugindo um pouco de ver televisão, pois achamos que esteja havendo muita agressão a nossos sentimentos e que às vezes não nos sentimos bem, principalmente em horários de nossas refeições.

Novelas cheias de sexos explícitos e violência, além do ensino para mentes fracas de como vencer na vida usando meios ilícitos.

Se dissermos que deveria ter um controle maior de algum órgão que pudesse coibir certas cenas e verdadeiras aulas para o crime, logo teríamos contra nós de que estamos “desejando usar a mordaça, acabar com direitos de expressão” e outras coisas mais



Escrito por buenp.pedro às 08h08
[] [envie esta mensagem
] []





Respondendo a um amigo

 

6/1/2010

Meu caro Adilson

 

Sei da sua inteligência e jamais estaria disposto a discutir assuntos que há um distanciamento do que pensamos e imaginamos.

 

Nossa história tão glorificada quando estudante de ensino primário, ao menos no meu tempo, onde ainda o “sinhozinho” que estudava na capital, visto que seu genitor era um dos barões do café da época, o que ele dizia aqueles menos capazes de escrever ao menos o nome ficava boquiaberto com as palavras “intraduzíveis” por aqueles que eram seus serviçais de custo barato. Tanto saber desse sinhozinho que ali se forjava mais um “coronel da política local”, verdadeiro herdeiro de tudo que fosse somente da família fidalga da região cafeeira, principalmente. Mais ou menos dessa forma que se forjava e ainda se forja por várias regiões desse imenso e lindo país.

 

Certa vez li de que “a verdade está sempre ao lado do vencedor”. Isso é fato, pois somente o tempo mudará as versões. Ou ao menos poderemos contradizê-la. Mas isso é uma grande discussão e estou muito aquém de conhecimento intelectual para desejar ser ao menos um interessado no assunto.

 

Felizmente queiram ou não vivemos em um país livre. Apenas aqueles que no passado usufruíram de tudo sem ter que dar satisfação ao menos a um humilde serviçal mais próximo se sentem incomodados por não ter sua superioridade firmado nos dias de hoje, como antes.  

Essa liberdade está na Internet tanto que os jornais impressos devido até mesmo face sua imparcialidade, estão cada vez mais tendo grande redução nas tiragens. Aliás, não só no Brasil. Eles ainda não se acostumaram com os novos tempos. Hoje o que se escreve num jornal e fala-se pela TV, de imediato surgem o contraditório através dos blogs, twitter e outros meios eletrônicos etc.

 

 Evidentemente que não se pode ver só um lado, ficando cego ou mudo em tudo que atualmente se observa de errado. Isso tenho minhas análises. Apenas não condeno todos por atos isolados por uma pessoa ou mesmo por parte de um grupo.  O que não admito e aceitar comentários de grupos da imprensa e seus empregados que emprestam seus nomes assinando colunas com comentários que não são no fundo o que pensam. Mas há os radicais como Jabor, que continua no mesmo horário, mas as 8:10 e não as 7:10.

 

Lúcia continua no mesmo horário, Devem ter se equivocado. Ao menos a ouço diariamente as 07h58min e às 18h35min, de segunda a sexta.

Mas tanto Lucia como Jabor e também o Merval, nunca falam “Mensalão do DEM”. Para não ser injusto a Lúcia vez ou outra menciona do “Mensalão do DEM”.

 

Programa do Jô nem sei se deixaram de se apresentar “A meninas do Jô”. Se não dava com o passar do tempo tanta audiência deve ser pelo adiantado da hora e custos e benefícios, pois elas carregavam sempre a mesma coisa todas às quartas. Tornaram-se cansativas.

 

Veja, Estadão, O Globo, são os mesmos que agora me parece estarem novamente querendo reeditar 1964. Estão preparando terreno. Como no passado usaram os “ingênuos” militares, que eram os que iam para frente de batalha e estimulados a agirem de todas as formas, mas que, quando a Comunidade Internacional começou a reclamar, os civis que usaram os pobres militares os deixaram como únicos culpados de tudo.

 

Há na nossa imprensa, o modo de agir ao lançara uma assunto nem sempre bem apurado, mas que depois de ter rodado as rotativas e a imagem e comentários chegando aos ouvidos dos telespectadores, nada sendo comprovado de deixa de lado, como se nada tivesse sido divulgado. Fica assim a dúvida. Cabe a cada uma analisar, mas o estrago foi feito. Felizmente temos a Internet caso contrário não teríamos conhecimento do que o racista e preconceituoso Boris Casoy falou dos humildes garis.  Seu bordão já vem de mais de vinte anos, apenas seus defeitos estavam blindados.

 

Sebe de uma coisa, meu caro Adilson, até torço para que Serra ganhe, pois somente assim ficaremos livres de uma reedição de 1964. Fique certo, eu também gostava do que ocorria naqueles tempos. Apenas eu tinha um lado da informação. Nunca havia tido prova do outro lado. Não imaginava que um mero nordestino dos mais rudes e de terras tórridas um dia viesse fazer nosso país mais vibrante e reconhecido mundialmente. Não estou “falando marolinha”, apenas desejando que Serra vença, mas não com o meu voto. Uma trégua sempre faz bem. Quatro anos passa tão rápido...

 

Um grande abraço

Seu admirador

Pedro Bueno.



Escrito por buenp.pedro às 13h32
[] [envie esta mensagem
] []





 

Com toda certeza Minas Gerais não vai gostar disso!

Enviado por: PEDRO BUENO

Email: buenp.pedro@gmail.com

Aécio como vice? Minas não vão gostar de nada disso, com certeza. Aécio não faria essa cachorrada com seus conterrâneos. Passaria a impressão de um bom converso fiado. Mais uma vez vice? Se foi traído e não diz, como foi Pedro Aleixo. MINAS NÃO ACEITA MAIS VICE.

O comentário acima eu fiz no jornal O Globo deste dia 18 de dezembro, visto que realmente acho que o eleitor mineiro não vai gostar nada disso, da renúncia e mais ainda se por acaso Aécio aceitar ser vice na chapa com José Serra.

 

As aparências enganam, mas um pouco do silêncio de FHC já dizia aos mais céticos de que alguma coisa ia ocorrer antes deste Natal. Com as festas o assunto “saída de Aécio” somente retornará a partir da segunda quinzena de janeiro, pois são 15 dias que ninguém falará nada a não ser do que se fez nestas festas, ainda mais que milhões estarão de férias e não vão “esquentar cabeça” com política, principalmente.

 

Mas muito me preocupa, já que Serra é um fiador de FHC quanto a privatizações. Serra ganhando, logo vai lançar uma campanha, de inicio discreta, mas no segundo ano tudo poderá ocorrer e, dentre eles a privatização da Petrobrás, para que seja logo o de uma grande empresa, pois no varejo será mais fácil.

Pedro Bueno

18/12/2009.



Escrito por buenp.pedro às 21h46
[] [envie esta mensagem
] []





Aécio correu da raia

 

Aécio corre da raia...

 

Com o tempo aprendemos a “a ver na voz”, nos gestos, quando um político parece que está escondendo algo que o público pode até desconfiar, mas não tem plena certeza.

Eu já deveria ter escrito isso logo após a entrevista que Aécio deu no programa da Lúcia Hippólito, nesta segunda-feira, dia 15, salvo engano.

Estava falando meio que um pouco descompromissado, muito prolixo, (isso falei em outro comentário), apenas estava ali honrando um compromisso assumido.

Mas o que deveria ter feito Aécio desistir agora, quando se falava em esperar até mesmo fevereiro de 2010? Se não me engano, em resposta a uma pergunta ele falou de que tinha dados levantados... que dados eram esses? Agora se pode dizer até que não estava mesmo confortável com o que ele não disse, mas já deveria saber.

Nos partidos há pesquisas que não são divulgadas. Essas não seriam de fato favoráveis a Aécio que agora achou melhor “pular do cavalo” antes que esse o derrubasse?

O que lhe aconselharia o seu velho avô, antes de “correr da raia”? Acho que lhe diria: “Minas Gerais não irá gostar nada disso”. Portanto, Aécio só tem uma coisa, tentar o Senado e... apoiar Serra.

Quando escrevi em letras miúdas (apoiar Serra), é por razões que somente ele o os caciques do PSDB sabem do que se trata.

Com certeza Serra não contará muito com o apoio do mineiro e terá que se esgoelar muito quando for à Minas Gerais.

 

Pedro Bueno

17/12/2009.

http://oquepensabueninho.blospot.com

 



Escrito por buenp.pedro às 05h13
[] [envie esta mensagem
] []





Coisas do Liberalismo

ALGUMAS DO LIBERALISMO

 

Segundo os estudiosos, liberalismo significa "sair do compasso de espera e partir para ALGUMAS DO LIBERALISMO investimentos privados, sem a interferência de governos, sendo esses apenas sejam um divisor de águas em certos momentos".

 

O liberalismo se propõe a criar e executar novos métodos dentro do capitalismo, que tem no trabalho a fonte de riquezas. Também defendem o livre comércio, que por essa razão, requer que haja uma livre concorrência , ocasionanando com isso a "Lei da Oferta e da Procura".

 

No pensamento liberal, há grandes autores que escreveram sobre diversos assuntos, mas sempre dentro da teoria  liberal, principalmente sobre a "economia de mercado".

 

Com diversas interpretações, as vezes contraditórias, reconhecemos que alguns deles fizeram cátedra no conteúdo que apresentaram nas suas teorias. Alguns desses autores, apesar de terem vividos em tempos passados, no entanto eram grandes viisionários e ainda são muito atuais, pois tem seus trabalhos reconhecidos e executados em muitos países .

 

Dentre vários podemos mencionar alguns como :

Adam Shmith

Milton Friedman

Friedrich Hayek

 

Grandes economias vivenciam as teorias liberais desses autores, que há séculos estão fazendo muito na atualidade capitalista.

 

Com certas reservas, até a China podemos dizer que sucumbiu diante do óbvio que está ocorrendo mundo afora. Pena que essas teorias pensam muito mais no que se vai produzir sem ver muito a "máquina chamada  homem". Esse ser hoje está robotizado, parecendo sem sentimentos, sem alma quando na obrigação de produzir. Agora,  fora desse meio de produção de capital, surge então o outro homem: Aquele que tem sede de consumir e está sempre sendo levado a isso e por conseguinte, torna-se um ser de duas vidas: Um produz e o outro que consome. Isso tudo num só homem!

Pedro Bueno

bueninho-oquepensabueninho.blogspot.com 

 



Escrito por buenp.pedro às 08h10
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]